Yin e Yang na alimentação pós-parto

Yin e Yang são dois conceitos da filosofia chinesa que representam dois pólos distintos, duas forças primárias da criação opostas e complementares que geram e gerem todos os fenómenos.

 Yin representa a noite, lua nova, inverno, sombra, frio, quietude e lentidão e é representado pela cor preta. Já Yang o dia, a lua cheia, o verão, calor, movimento, rapidez e é representado pela cor branca. Apesar da atribuição destas cores principais, cada cor tem um círculo mais pequeno com a cor do pólo oposto, o que significa que ambos existem de forma integrada, não existindo um sem o outro. 

Yin e Yang na alimentação

A macrobiótica estuda a influência destes dois pólos nos alimentos, como energia viva que   dependendo da sua natureza e da forma como são cozinhados representam Yin ou Yang, influenciando o nosso estado emocional, físico e mental. 

Segundo a macrobiótica, os alimentos yang potenciam uma atitude activa e dinâmica, sendo o seu extremo a agressividade e a impaciência enquanto que os alimentos yin criam uma atitude mais calma e ponderada, sendo o seu extremo a dependência e a inércia. 

O nosso corpo foi criado para encontrar a homeostase, o equilíbrio, de modo que um elemento excessivamente Yang vai atrair o seu extemo oposto. Por isso é que depois de comermos carne temos apetite por doces e depois de comermos coisas muito salgadas temos vontade de beber água (extremos Yang – extremos Yin). 

Alimentação pós-parto

No pós-parto, a mãe tem o seu chi (energia vital) baixo devido ao esforço físico da gravidez e parto. Cuidamos do chi com comida nutritiva e fácil de digerir. O estado de humor da recém-mãe pode circular entre a euforia (yang) e a depressão (yin), entre a vontade de fazer muitas coisas (Yang) e não sair do sofá (yin). O que queremos resgatar ao cuidar da mãe, é a sua energia calma e descontraída (yin) mas evitando o extremo dessa energia que poderá contribuir para a sensação de perda de coragem e confiança. 

Nesta fase, tão única, a mãe precisa de caldos de vegetais, quentes e nutritivos, ou seja, exatamente a forma de cozinhar e os alimentos que activam o chi e estão entre as energias Yang e yin. A mãe precisa de equilíbrio, de calma mas ao mesmo tempo de confiança. Qualquer excesso, com um alimento Yang (carne e processados) ou Yin (refrigerantes e açúcar) pode comprometer a sua recuperação, a amamentação e a tranquilidade do bebé e da família. 

Sabemos que a mulher é o centro nevrálgico da família, e quando ela está bem e equilibrada, o bebé sente e a família tende a seguir e a ser contagiada por essa energia.

Artigos recentes