O Parto Orgásmico: ilusão ou realidade?

Pensa por um momento em todas as histórias que ouviste sobre o parto, aposto que a palavra orgásmico não está no topo da lista, ou nem foi sequer incluída. O nascimento orgásmico é sobre a conexão entre o nascimento e a sexualidade, a ideia de atingir o orgasmo, durante o parto, não tem, contudo, o objetivo de colocar uma nova pressão a desempenhar pelas mulheres (elas já têm o suficiente); em vez disso, trata-se de desafiar o sistema de crenças atual de alguém, relacionado com o nascimento, e estar aberto à ideia de que o nascimento é, na verdade, “um ato sexual”. É um facto que durante o trabalho de parto, e o parto, o bebé move-se pelas mesmas partes do corpo da mulher envolvidas com o prazer sexual


O Parto Tântrico é um processo fisiológico e natural. Não precisamos de pensar muito… Estudos demonstram que os mesmos órgãos e hormonas que contribuem para o orgasmo sexual são ativados durante o parto; E cá para nós, fazendo uma analogia da anatomia feminina, lembro-vos que quando o bebé desce pelo canal de parto, ele está a passar pelo mesmo local em que o Lingam (genital masculino) penetra na Yoni (genital feminino) para provocar o orgasmo, e o prazer que vêm da contração e relaxamento dos músculos vaginais e uterinos. É importante considerar que a passagem do bebé pelo canal da Yoni comprime de uma forma única as partes internas do clitóris, proporcionando um prazer vivido apenas na hora do parto. 


O Parto Tântrico é sobre desbloquear a intimidade, criatividade e inspiração, é um momento de empoderamento feminino e masculino. 

“Dei à Luz os meus filhos com dores.” Raramente ficamos surpreendidas quando ouvimos as histórias violentas do parto. Estas histórias já se tornaram algo “natural”, mas pensando nisso seria possível ter um parto diferente? Um parto em que poderemos relatar experiências boas sobre sensações que ainda não tivemos ou sentimos? Eu convido-vos a conhecer o Parto Tântrico! 


Existe um número cada vez maior de mulheres a dizer que ao invés de o parto ser um momento doloroso, ele foi um momento de êxtase e muito prazer. Dizem também que tiveram orgasmos muito intensos, múltiplos orgasmos, que se expandiram através do corpo, e que riam e choravam ao mesmo tempo, em estado de transe. Ao invés dos gritos desesperados e histéricos recheados de medo, os gemidos eram a expressão sonora da natureza instintiva, forte, ativa e Divina da Mulher. 


Antes de decidirmos ter um parto orgásmico, precisamos de saber algumas coisas sobre Orgasmo. Quando falo sobre orgasmo, não te limites aos teus genitais, tu és muito mais do que o teu corpo físico. O Orgasmo é uma energia magnética, tal e qual como a energia gravitacional, a energia solar, lunar… Tudo à nossa volta é uma energia magnética. Isto não é novidade, o Einstein descobriu esta verdade no ano 1905. O Orgasmo é o Agente transformador da consciência.
Até hoje, o orgasmo feminino permanece um mito para muitos, na verdade, a autoestima, a confiança, as consequências do ato sexual, as pressões sociais, as memórias negativas relacionadas ao sexo, entre outros elementos, influenciam a experiência sexual das mulheres e a capacidade de circular a energia Cósmica- orgásmica. 


Mudando o foco da teoria para a prática, gostaria de partilhar algumas dicas importantes no caminho até ao Parto Orgásmico. Existem 3 passos neste caminho: desbloquear a Intimidade, gerir o stress e as hormonas e criar um Lifestyle adequado.


Desbloquear a Intimidade: é necessário desbloquear a nossa visão tóxica do parto e conectamo-nos com uma nova perspetiva em relação ao mesmo. Precisamos de começar a ver o parto como uma experiência erótica, de prazer. Se podemos criar uma nova vida com prazer, então porque não trazer vida para este mundo também com prazer? Desbloquear a intimidade também quer dizer que nos precisamos de sentir bem com a nossa própria sexualidade. Precisamos de equilibrar a energia masculina com a energia feminina*, e encontrar a paixão pelo momento do parto.Uma última dica neste ponto, manter a presença ajuda a desbloquear a intimidade.


Gerir o stress e as hormonas: se queremos experienciar um parto tântrico, é necessário libertar o nosso stress. Diariamente, vivemos num mundo muito stressado, só ver tv ou conduzir o carro causa stress para o nosso corpo, por isso ter técnicas especialmente concebidas para cada um de nós, para libertar o stress, e assim, as nossas hormonas fluem naturalmente; E se as nossas hormonas estão equilibradas, as nossas emoções estão equilibradas; E se as nossas emoções estão equilibradas, nós conseguimos viver no nosso centro.Uma última dica neste ponto, se tivermos uma conexão forte conosco mesmos conseguiremos gerir melhor o nosso stress.


Criar um Lifestyle: cada gravidez requer uma mudança do estilo de vida. O lifestyle é necessário para a preparação para o parto orgásmico, pois só assim conseguimos manter o nosso centro e estar na intimidade plena. O nosso lifestyle deve acomodar as nossas transformações através do prazer e não através do sofrimento. Qualquer tipo de lifestyle que a mulher escolher, que seja adequado para ela, deveria incluir técnicas de respiração, de movimento e de uma alimentação saudável.


Vou também mencionar 3 chaves essenciais para atingir um parto tântrico, são estas Mindfulness, Organização, Movimento (M.O.M).


Mindfulness: tratar a saúde da mente e viver no momento presente.

Organização: aceitar que existe imprevisibilidade. Por exemplo, a mulher querer ter um parto em casa, mas acabar por ter de ir para o hospital. A organização aqui também se refere a saber organizar o nosso tempo.


Movimento: ter uma prática personalizada que ajude com o movimento pélvico. O movimento pélvico prepara o corpo e a mente para um momento calmo e erótico.


Assim, acreditamos que educar as pessoas sobre a possibilidade do prazer sexual, durante o trabalho de parto, permite que mais mães vejam os seus partos como experiências alegres e positivas. O Parto Tântrico empodera a Família toda e cria melhores possibilidades para as futuras gerações.

Glossário:*visão tóxica do parto- parto é sofrimento*equilibrar a energia masculina com a energia feminina – é necessário aceitar que todos temos ambas a energia masculina e feminina. O desequilíbrio da mesma tem consequências. No parto é essencial ter este equilíbrio, de forma a mantermos o foco e conectamo-nos com o nosso centro, de onde vem toda a nossa energia divina; mantendo toda a nossa energia presente neste centro, conseguimos transformar a dor em prazer.

Texto da Academia Reicha Yoga

Artigos recentes